A Prefeitura vem a público esclarecer sobre o desabastecimento do inseticida utilizado no controle do Aedes aegypti. A distribuição do insumo – Malathion EW 44% – é de responsabilidade única e exclusiva do Ministério da Saúde, mas está em falta. O veneno é utilizado em ações de nebulização via aplicação espacial com equipamento costal motorizado e nebulização por aplicação com equipamento de Ultra Baixo Volume, chamado de fumacê, indicado para eliminar a fase adulta do mosquito da dengue.

Não há veneno no mercado com as mesmas características. O município sequer pode comprar outro inseticida para essa finalidade, devido a restrições da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Do contrário, a administração municipal estaria incorrendo em crime ambiental e crime contra a população, podendo causar danos à saúde do próprio agente de endemias e da comunidade como um todo, que estará exposta à intoxicação pelo veneno.

O Ministério da Saúde não definiu data de liberação do novo inseticida, que segue em fase de testes. Por conta do desabastecimento no estoque, foram intensificadas as ações de rotina visando diminuir a transmissão de casos. Dentre os principais trabalhos da EMCAa estão a realização de visita casa a casa, bloqueios contra criadouros, resgate de casas fechadas, atendimento a denúncias, ações educativas e mutirão aos finais de semana. Os trabalhos contam com apoio dos Agentes Comunitários de Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde pede mobilização da população para os cuidados diários com a limpeza de suas casas e quintais, a fim de eliminar possíveis criadouros do Aedes. Na maioria das vezes, as larvas do mosquito são encontradas dentro das residências.

Denúncias podem ser feitas pelo Disque-Dengue: 3531-9200

Oficinas Culturais somam 4 mil visualiza…

12-04-2020 Hits:177 Cultura Fabio

As aulas das Oficinas Culturais conquistaram o universo digital e vêm somando cada vez mais fãs durante a quarentena. A opção para que os alunos continuem os ensinamentos oferecidos na...