Administrar um hospital em dias normais já é uma tarefa complexa, mas, fazê-la em tempos de pandemia é ainda mais desafiador para o gestor e requer uma boa dose de estratégia e estruturação. 

 

Para que todos os setores continuem funcionando sem que seja necessário abrir mão de fatores importantes como a qualidade do atendimento, abastecimento de suprimentos necessários, saúde dos colaboradores e etc., é essencial adotar um plano emergencial para evitar que as coisas saiam do controle. 

 

Nessas horas, para manter a produtividade a todo vapor e garantir que a unidade de saúde não entre em colapso, ter um bom gestor também faz toda a diferença. 

 

Este profissional será responsável por organizar (ou reorganizar) toda a rotina de trabalho, bem como cuidar de todas as questões burocráticas, gestão de equipe, demanda de medicamentos e equipamentos, qualidade e eficiência do atendimento, entre outras questões.

 

Pensando nisso, reunimos uma série de dicas que podem ajudar a guiar o seu trabalho diante de uma crise de saúde para que você consiga realizar as mudanças necessárias a fim de oferecer o melhor serviços para seus pacientes. Confira!

Gestão dos profissionais

O primeiro e um dos mais importantes passos é reorganizar a equipe de trabalho para garantir não só os cuidados com a saúde dos seus pacientes, mas também de todos os seus colaboradores. 

 

Como o isolamento social foi recomendado - principalmente para pacientes do grupo de risco: idosos e pessoas com doenças crônicas pré-existentes, uma vez que o índice de mortalidade do coronavírus é maior entre essas pessoas, o ideal é verificar se dentre os profissionais da sua equipe, alguém se enquadra nessa situação. 

 

Além disso, com um aumento expressivo na demanda, alguns hospitais se viram obrigados a contratar mais profissionais para dar conta do atendimento, sem precisar abrir mão da qualidade e eficiência. 

 

Caso observe essa necessidade, o gestor deve assegurar-se de que tudo seja feito de forma correta, analisando pontos importantes como por exemplo, se a contratação será temporária ou não, jornada de trabalho dos profissionais, dentre outros. 

Organização das finanças

O controle do fluxo de caixa de um hospital é essencial em qualquer momento, afinal, é isso que vai garantir que todos os suprimentos necessários para mantê-lo em funcionamento cheguem ao seu destino. 

 

Organizar e padronizar os processos de pagamentos, recebimentos, compra de material e medicamentos deve ser algo primordial na gestão. 

Aparelhos, equipamentos e medicamentos

Uma das principais complicações decorrentes do novo coronavírus, a síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) atinge boa parte dos pacientes diagnosticados com a doença, o que torna necessário o uso de respiradores. 

 

No entanto, este tem sido um dos maiores desafios dos hospitais: conseguir os equipamentos para garantir a ventilação mecânica dos pacientes em estado mais grave, o que consequentemente, se torna um problema para os gestores. 

 

Outro fator importante, é controlar o estoque de medicamentos. Com a alta demanda em praticamente todo o país, a indústria farmacêutica também tem passado por momentos de tensão, o que exige uma maior atenção dos gestores hospitalares.

 

Além disso, como ainda não há um medicamento específico para o tratamento do Covid-19, o mais indicado é manter atenção ao estoque dos remédios que são usados para tratar os sintomas, ao menos por enquanto. 

Qualidade do atendimento

O aumento na demanda hospitalar não necessariamente significa perder a qualidade do atendimento. Muito pelo contrário, nesses momentos, é necessário oferecer um serviço ainda melhor e mais humano. 

 

A padronização de processos e protocolos, principalmente levando em consideração as características da pandemia, bem como a adequação dos equipamentos e do ambiente hospitalar são fundamentais para isso. 

 

Preparar os colaboradores para realizar um atendimento mais adequado a situação também faz toda a diferença. Por isso, promover treinamentos a fim de instruí-los é a melhor forma de garantir que os pacientes fiquem satisfeitos com os serviços prestados e, quando necessário, recomendem e voltem à instituição. 

Controle de propagação e cuidados com o ambiente

Para controlar uma pandemia de tamanha proporção, o isolamento e o distanciamento social é uma das medidas mais simples e eficazes a serem tomadas. 

 

No entanto, a concentração de pessoas no ambiente hospitalar é inevitável, por isso, a unidade de saúde deve tomar todas as precauções para evitar ao máximo a propagação do vírus. 

 

O uso de equipamentos de segurança é fundamental, tanto para os colaboradores, quanto para os pacientes, e fornecê-los é um dever do hospital. 

 

A higienização do ambiente também deve ser reforçada e seguir os padrões recomendados para impedir que a doença se alastre no ambiente. Caso seja necessário, aumente a frequência de limpeza dos ambientes, principalmente dos sanitários e áreas comuns como a recepção.

 

Manter os ambientes bem iluminados e com tudo funcionando também é um dever do gestor. Embora o momento seja de grande fluxo, é importante realizar a manutenção dos equipamentos necessários para evitar qualquer imprevisto. 

 

Também é essencial alugar gerador de energia a fim de garantir que em casos de interrupção problemas com o fornecimento de energia elétrica, tudo continue funcionando sem maiores dores de cabeça.

 

Seguindo essas dicas, você garante que a produtividade do seu hospital seja alta mesmo em tempos de pandemia, oferecendo um atendimento de qualidade para seus pacientes e cumprindo a missão mais importante de todas: salvando vidas.

Fonte: SEO Marketing

Vagas de Emprego Catanduva

04-03-2020 Hits:489 Economia Fabio

A Prefeitura de Catanduva, por meio de parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Relação de Trabalho (Semdert) e o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), divulga periodicamente...