Confirmando 2019 como um ano de importantes conquistas para o desenvolvimento de Catanduva, o Banco do Povo Paulista (BPP) voltou a superar sua melhor marca histórica em número de contratos fechados, com 285 parcerias firmadas. O volume superou a marca de R$ 2 milhões – valor que foi injetado na economia local.

Parceria entre o Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura de Catanduva, o programa de microcrédito possibilita financiamentos a empreendedores formais ou informais. As cooperativas e associações também podem fazer solicitações.

Abril teve o maior número de contratos firmados, com 44 empreendedores atendidos. Na sequência aparece maio, com 35, e depois dezembro, com 33.

“Conseguimos imprimir no Banco do Povo um ritmo de trabalho semelhante ao da iniciativa privada. Formamos um time de colaboradores. Alguns servidores de carreira buscam bater as metas constantemente e tal entusiasmo resultou em marcas nunca antes atingidas em Catanduva. Já tínhamos alcançado marcas históricas em 2018 e, esse ano, ultrapassamos nosso próprio recorde”, comemora o secretário de Desenvolvimento, Fabio Rinaldi Manzano.

O resultado, tanto dos empréstimos, quanto dos contratos, merece destaque. Para se ter uma ideia, no ano de 2018 foram 188 parcerias firmadas e R$ 1,29 milhão para aquecer a economia da cidade. Até então aquela era a melhor marca histórica.

O Banco do Povo Paulista compõe os serviços oferecidos pelo Empresa Agora, programa da Prefeitura de Catanduva que é pioneiro na região e exemplo em todo território paulista. A iniciativa tem apoio do Sebrae-SP, Associação Comercial e Empresarial (ACE), Sincomercio e Sindicato Rural.

Serviço

O Banco do Povo Paulista fica no prédio do Poupatempo de Catanduva, localizado na avenida Comendador Antonio Stocco, nº 537, no Joaquim Lopes. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, e aos sábados, das 8 às 12 horas. Informações: (17) 3531-9798 e www.bancodopovo.sp.gov.br.

Como construir uma reserva financeira pa…

07-10-2020 Hits:104 Economia Fabio

Especialista explica que para começar o "pé de meia" é mais importante planejar do que ter muito dinheiro