Durante a quarta-feira, 1 de julho, a frente fria avança sobre as Regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil e provoca chuva em praticamente todas as áreas dos estados de São Paulo e de Mato Grosso do Sul. A temperatura cai no dois estados e esfria mais no Sul do Brasil. O ar frio chega também ao ao oeste e sul de Mato Grosso, mas não chove nestas áreas. O ar frio é sentido também em áreas de Rondônia
 
Na quinta-feira, 2 de julho, a frente fria avança no mar e chega ao sul da Bahia. O ar frio continua pelo interior do Brasil fazendo a temperatura baixar mais no Sul e mais áreas do Sudeste e do Centro-Oeste . Porém, a chuva ocorre em poucas áreas do Rio de Janeiro, no leste de Minas Gerais e no sul do Espírito Santo
 
É na madrugada e manhã de 2 de julho que pode nevar, ou ocorrer outro tipo de precipitação de inverno, na serra do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Pode gear em Curitiba. Além disso, o frio intenso provoca geada no Sul do Brasil e no sul de Mato Grosso do Sul
 
Sobre a Climatempo
Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.
Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.
 
A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.
Fonte: Assessoria de Comunicação da Climatempo