Você sabia que existem vacinas específicas de prevenção da gripe para cães? Nesta época de baixas temperaturas, todo cuidado com os animais é pouco! Os pets recebem mais friagem por estarem sempre perto do chão e gostam de ficar ao ar livre no quintal ou na garagem recebendo todos as novidades em aromas que vêm com o vento!

Por essas e outras, preste atenção nos sintomas de tosse insistente, incômodo que pode ocorrer de dia ou mais predominantemente à noite, além de espirros, secreção nasal e/ou ocular, perda de apetite, prostração e até febre. Pode ser gripe!

A Dra. Débora de Souza, clínica geral do Hospital Veterinário Taquaral, é enfática em afirmar que não se deve vacinar o pet durante a apresentação de qualquer sintoma. "É preciso aguardar a melhora do animal, reavaliá-lo e fazer exames, caso o médico veterinário julgue necessário. Todo animal necessita estar em bom estado de saúde para receber qualquer tipo de imunização", frisa.

A médica veterinária enfatiza que estudos realizados por fabricantes de diferentes marcas mostram uma redução de 82% nos sinais clínicos apresentados pelos animais que tomaram a vacina. Outra pesquisa, feita por outro representante da mesma indústria, apontou que animais vacinados tiveram uma redução de 6 vezes a frequência de tosse, comparado ao grupo controle. "Nenhuma das vacinas possui 100% de eficácia, mas nos apresentam importante diminuição de sintomatologia da doença", salienta.

A especialista destaca que há diversas propostas e tipos de vacina para proteção dos cães contra a gripe e todas têm validade de um ano. Segundo ela, existem medicações administradas por via oral, intranasal ou injetável (via subcutânea). "No geral, a prevenção deve ser realizada anualmente. Mas o protocolo médico pode mudar conforme o ambiente em que o cão vive. Aos animais que se encontram em locais com alto risco de contaminação é recomendado receber um reforço neste período", alerta Dra. Débora.

Proteção para os gatos

Para os felinos não há uma vacina que se restrinja à precaução da gripe, no entanto, os gatos não estão descobertos. A Dra. Débora explica que as vacinas tríplice, quádrupla e quíntupla para felinos já têm em sua composição agentes contra doenças respiratórias.

A vacina trivalente, por exemplo, protege contra duas doenças respiratórias mais comuns dos gatos, a calicivirose felina e rinotraqueíte felina, além de ser indicada como prevenção a outros problemas não relacionados a gripe. A quádrupla previne a essas doenças e mais a clamidiose, que afeta o sistema respiratório e o aparelho ocular dos animais acometidos. Dra. Débora cita ainda a vacina quíntupla, que além de prevenir as doenças da quádrupla, protege contra a leucemia felina. "A quíntupla requer a realização de exames prévios e não é indicada a todos felinos", pondera.

Reações

Como em humanos, qualquer vacina pode provocar reações adversas, sendo mais comum ocorrer sinais leves e passageiros. "Observamos comumente o animal ficar mais quieto, com menos apetite, vômito, diarreia e, em alguns casos, ter febre, em dois a três 3 dias após a vacinação. É uma resposta do organismo ao estímulo imunoprotetor do pet. Mas existem animais que a vacinação pode induzir a doenças mais severas, como sarcoma de aplicação em gatos e anemia hemolítica imunomediada em cães", esclarece a veterinária.

Vale lembrar que cabe ao médico veterinário determinar qual vacina é melhor para o pet. O especialista analisa o estilo de vida do animal, exames e histórico para determinar qual é o melhor protocolo a ser utilizado.

Serviço
Hospital Veterinário Taquaral

Endereço: Av. Barão de Itapura, 2.968, Taquaral - Campinas SP

Horário de funcionamento: 24 horas

Telefone: (19) 3255-3899

Site: https://hospitaltaquaral.com.br/

Fonte: antoniamariazogaeb