O período de incertezas, causado pela pandemia, transformou a realidade e a rotina do mundo todo. A partir disso, um dos sentimentos que permanece, principalmente hoje no Brasil, é o medo: de contrair a doença, além dos impactos sociais e econômicos gerados pela crise.

A pesquisa MentalCovid, conduzido pela FURG em conjunto com a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), mostra o impacto da pandemia na saúde mental da população e revela que o fator que afeta a saúde mental das pessoas durante a pandemia é o medo e a preocupação em pegar o vírus, e não apenas a infecção por si só.

Outro levantamento, da área de Inteligência de Mercado do Grupo Abril em parceria com o instituto de pesquisas digitais MindMiners, revela que os principais motivos de preocupação do brasileiro em contrair a Covid 19 incluem a superlotação de hospitais, que inviabilizaria o atendimento para todos, além do desemprego e da insegurança de pessoas próximas, como família e amigos.

O que podemos fazer?

A preocupação aumentou por conta da nova variante, que é ainda mais transmissível. Entretanto, há alternativas que podem e devem ser tomadas para evitar o contágio e, assim, ajudar a diminuir o medo de contrair a doença. Tais soluções incluem o uso de máscaras de proteção, distanciamento social e utilização de produtos que inativam o coronavírus em diversos materiais e superfícies, chamados anticovid.

Para contribuir na batalha da maior pandemia do século, a empresa brasileira de nanotecnologia, Nanox, desenvolveu o composto químico denominado micropartícula de prata que é capaz de inativar partículas do vírus em diversas superfícies, o que colabora para reduzir a transmissão do novo vírus por contato.

"Na química, a prata é conhecida há muito tempo como um componente antimicrobiano e, com a chegada da pandemia, intensificamos os estudos e obtivemos sucesso na ação do componente contra o coronavírus", expõe o cofundador e Diretor da Nanox, Daniel Minozzi. Ele também explica como funciona o efeito. "A prata inativa a atividade celular do vírus, o que o torna inócuo em seu contato", esclarece.

A tecnologia é utilizada em diversos materiais que saem de fábrica com proteção anticovid e incluem desde a proteção individual, com o aditivo presente em máscaras de tecidos, além de itens compartilhados: a partir do plástico filme PVC anticovid - normalmente usado em cozinhas para embalar alimentos- é possível que máquinas portáteis de pagamento, corrimão e também botões sensíveis ao toque estejam livres do novo vírus.

Já o plástico polietileno anticovid, também com tecnologia Nanox, protege maçanetas, carrinhos de supermercado e também catracas do novo vírus. Tal plástico também oferece proteção com o tapete adesivo antimicrobiano, adequado para corredores e locais onde há grande circulação de pessoas - supermercados, bancos e outros locais.

Bem como produtos do segmento de construção e decoração: pisos laminados, painéis em MDF, louças sanitárias com micropartículas que inativam o novo coronavírus.

Para comprovar a eficácia, os materiais foram testados e tiveram sua eficiência comprovada através do QuasarBio, referência em ensaios com SARS-Cov-2 que tem laudos protocolados pelo pesquisador Lucio Holanda Gondim de Freitas e o professor, médico e virologista Edson Durigon, especialistas no assunto. Os ensaios foram realizados no laboratório Nível de Biossegurança 3 (NB3) - especializado na manipulação de microrganismos com alto grau de patogenicidade e que oferecem risco à vida humana e ao meio ambiente.

"Hoje, garantimos diversas superfícies protegidas e com mais segurança tanto em ambientes domésticos, como também em espaços de uso comum que recebem grande volume de pessoas como aeroportos, rodoviárias, hospitais e escolas. Isso revela a mudança que a pandemia transformou no dia a dia e a importância da pesquisa brasileira no combate à pandemia", expõe Minozzi.

Aliar as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar o contágio, seguindo as normas de distanciamento, higienização e utilizar produtos eficazes contra o vírus contribuem para diminuir o risco do contágio e, assim amenizar o receio de contrair a doença.


Sobre Nanox

Criada em julho de 2004, a Nanox® é uma empresa pioneira em nanotecnologia que produz e desenvolve soluções com materiais inteligentes para multimercados em parceria com empresas inovadoras. Composta por modernas áreas de produção, laboratórios de controle de qualidade, desenvolvimento de produtos, suporte técnico, científico, de marketing e uma equipe multidisciplinar qualificada, a Nanox® segue diretrizes de elevado nível de gestão e transparência. Com as diversas patentes de novos produtos e de aplicação, suas marcas registradas e suas premiações ao longo de seus anos de existência, a Nanox® diferencia-se pela capacidade de transformar o conhecimento de nanotecnologia em soluções úteis para a melhoria da qualidade de vida, e em competitividade para os negócios que as adotam.
 
Fonte: Fernanda Ribeiro - Digital Trix