As festas de fim de ano, diante da gravidade de uma pandemia, ganharão novos ares em 2020. As famílias precisarão conciliar o encontro afetivo com medidas de proteção e isolamento. No caso do convívio com idosos, a preocupação deve ser redobrada. Médica do Residencial Club Leger, instituição dedicada ao acolhimento de pessoas da terceira idade, Simone Henriques acredita que, com todos os cuidados exigidos, as reuniões familiares não deixem de acontecer.

- Por serem momentos simbólicos das famílias, as festas de fim de ano não devem ser anuladas. É importante que a família celebre, que esteja reunida. Alguns cuidados devem ser tomados para tal, como uso de máscaras e evitar número grande de pessoas presentes. O mais adequado é restringir o encontro a núcleos menores - aconselha a médica do Residencial Club Leger.

A especialista destaca a importância do fortalecimento dos vínculos afetivos e da convivência para a saúde mental dos idosos.

- A manutenção desses vínculos é um dos fatores de estímulo à cognição -, acrescenta a médica.

Fonte: Dona Comunicação