O TEM Notícias entrevistou, na tarde desta sexta-feira (8), o prefeito de Catanduva (SP). Eleito com 38,01% dos votos, Padre Osvaldo (PSDB) falou, entre outros assuntos, sobre o plano de vacinação contra a Covid-19 e a falta de recurso para obras antienchentes. Confira abaixo a transcrição completa da entrevista.

TEM Notícias: Como vai ser o plano de vacinação em Catanduva?

Padre Oswaldo: "Estamos nos preparando através da Secretaria de Saúde, por meio da nossa secretária Claudia Monteiro, com todos organismos, vamos seguir as orientações do plano São Paulo, seguir as orientações da vacinação, estamos também buscando orientações da nossa região, DRS de São José do Rio Preto, e teremos nossos postos de vacinação, são 23, e outros também que vamos possibilitar para dar o maior atendimento possível à nossa população."

TEM Notícias: Os leitos de UTI Covid do Hospital Emílio Carlos, que é referência em Catanduva, estão quase lotados. A prefeitura pretende abrir novos leitos para atender a população?

Padre Oswaldo: "É uma preocupação imensa. Ontem, por exemplo, estava 100% de enfermaria, 85% na UTI do Hospital Emílio Carlos. Mas, também, temos o Hospital São Domingos, que está em uma situação mais favorável. De imediato, abrir novos leitos não está no nosso plano, mas estamos junto com a Fundação Padre Albino vendo as melhores condições. No atual momento, o que temos está suportando a demanda. Se a demanda aumentar demais, buscaremos outros mecanismos."

TEM Notícias: O transporte coletivo voltou a ser problema nas últimas semanas, com ameaça de paralisação dos ônibus. O senhor pretende mudar o contrato com a empresa concessionária do serviço para garantir um transporte melhor para a população?

Padre Oswaldo: "Estamos conversando com a empresa, tivemos algumas reuniões, estamos buscando as melhores condições, conversamos também já com funcionários da empresa, motoristas, e demais funcionários. Nossa proposta é melhorar o trânsito na cidade de Catanduva e também o transporte urbano. Para isso, a empresa se compromete em oferecer outras condições, e da parte da prefeitura estamos, também, estudando viabilizar meios, recursos, para manter o transporte de qualidade na cidade de Catanduva. Tivemos alguns impasses devido à pandemia, uso de nossos usuários diminuiu muito, mas com o retorno, teve um pequeno aumento. Acreditamos que com ações concretas junto à empresa nós vamos superar a dificuldade."

TEM Notícias: A prefeitura tem uma dívida de mais de R$ 30 milhões com os 2, 5 mil servidores municipais, referente ao dissídio de 2015. Essa dívida afeta as finanças da prefeitura, e o senhor prometeu pagar os funcionários agora, em 2021. Como o senhor vai fazer isso, sem afetar o cofre da prefeitura para os serviços essenciais?

Padre Oswaldo: "Esse mês vamos pagar o cartão alimentação 2015 em torno de mais de R$ 5 milhões. Já reunimos recursos para este pagamento. Estamos viabilizando os meios para efetuar o pagamento. Depois, o restante do dissídio, ao longo desse ano o compromisso é pagar sem mexer em recursos e orçamentos de 2021. Temos várias alternativas. Temos alternativa de enxugar na reforma administrativa alguns setores, isso vai nos trazer recursos. Também temos alternativa de buscar recurso no setor privado. Temos alternativa de colocar imóveis à disposição para efetuar o pagamento do dissídio. Não mexeremos no orçamento para comprometer os vários segmentos da prefeitura. Isso é impensável. O orçamento para 2021 continuará sendo efetuado como foi programado. E buscaremos outros recursos. Nós pagaremos, temos certeza que pagaremos dissídio em 2021."

TEM Notícias: Vai ter dinheiro para fazer uma obra antienchente?

Padre Oswaldo: "O município em si não tem este recurso, mas estamos em diálogo com o estado, com governador. Ele tem aberto as portas, está tendo um olhar peculiar para a cidade de Catanduva, viabilizou, sinalizou investir em nossa cidade. Entre os diversos investimentos possíveis para este ano e para os próximos está também resolver esta questão das enchentes em Catanduva."

TEM Notícias: A região que abrange os bairros Gabriel Hernandes e o Nova Catanduva cresceu muito e ficou distante das unidades de atendimento médico, principalmente da UPA. O que os moradores podem esperar de estrutura de saúde para essa região?

Padre Oswaldo: "A saúde estará presente. Nós estamos tendo um trabalho presencial, mas em questão de unidade de emergência e urgência no modelo da UPA é compromisso. Faz parte do nosso plano, já estamos buscando junto ao Governo Federal o recurso para construção. Acreditamos que não demora muito tempo e este recurso será viabilizado para construção de uma grande unidade ou mesmo da UPA se for permitido para aquela grande região, uma região nova, especialmente a Nova Catanduva 1, a Nova Catanduva 2. Muitas pessoas são moradoras oriundas de outros bairros, que precisam do mesmo atendimento que eles tinham antes em seus bairros. A construção da nova UPA ou unidade de emergência e urgência será efetuada em breve com recurso primeiramente para construção, com recurso federal."

TEM Notícias: O setor do comércio é um dos pilares da economia de Catanduva, principalmente na região central. Uma reivindicação antiga dos empresários é a revitalização do calçadão da Rua Brasil. Vai ser possível?

Padre Oswaldo: "Estamos juntamente com planejamento e também Secretaria de Trânsito já fazendo um estudo. Queremos transformar e recuperar a dignidade, a beleza e também a dinamicidade da cidade de Catanduva, especialmente no Centro, que ficou um bom tempo abandonado. Isso faz parte deste projeto, está sendo estudado e também depois precisamos viabilizar os recursos. Sabendo que o ano de 2021 é um ano com poucos recursos, mas em um período de quatro anos tudo será possível."

Compostagem inteligente acelera tratamen…

25-04-2021 Hits:236 Nacional Fabio

Redução de mau cheiro, economia de água, menor custo e rapidez são benefícios da aplicação da tecnologia.