Com o objetivo de incentivar a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), traz a transmissão ao vivo de debates sobre as principais questões que tencionam a agenda sociocultural e educativa atual. Sempre às 16h, as conferências acontecem pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, com participação do público e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na terça-feira, dia 7, o debate Memórias, cicatrizes e fraturas trará reflexões acerca das fragilidades dos patrimônios e acervos, e as relações entre memória e esquecimento no Brasil. Participam a artista e professora da FAU – USP Giselle Beiguelman e a artista e doutora pela ECA – USP Rosângela Rennó, com mediação de Barbara Rodrigues, graduada em artes plásticas e técnica de programação em artes visuais no Sesc Pompeia, e apresentação de Sabrina da Paixão, historiadora e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

No dia seguinte, quarta-feira, 8, A força ancestral na celebração da vida será o tema do bate-papo sobre os modos de (re)existir de manifestações culturais e comunidades tradicionais afro-brasileiras do Sudeste, como a Caiumba (conhecida como Batuque de Umbigada) e Moçambiques (presente nos festejos do congado). Com Iara Aparecida Ferreira, fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG), membro estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e Delegada Nacional dos Pontos de Cultura (representando a Cultura Popular); Mestre Malaquias, conhecido como Preto, fundador e capitão do Moçambique Estrela Guia, casado há 33 anos com Iara, com quem faz parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Uberlândia; e Antônio Filogênio de Paula Júnior, membro do projeto Casa de Batuqueiro, ligado ao grupo Batuque de Umbigada de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro-SP. Na mediação e apresentação, estará a jornalista e animadora cultural do Sesc Consolação, Renata Celano.

Seguindo com a programação, no dia 9, quinta-feira, estarão em pauta  Os efeitos da pandemia na alimentação dos brasileiros. Serão discutidos quais os caminhos para enfrentar a subnutrição e a fome neste contexto de preocupação em relação à disponibilidade e ao acesso a alimentos, agravado pelos fortes impactos sociais e econômicos causados pela pandemia. Dentre os debatedores, estão José Graziano da Silva, ex-Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva, função na qual coordenou a implementação do Projeto Fome Zero, e Renato Maluf, professor titular do CPDA/UFRRJ, onde coordena o Centro de Referência em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, e membro do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Na mediação, Elisabetta Recine, integrante do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional e professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília. A apresentação será de Mariana Ruocco, assistente técnica da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar.

E encerrando a programação da semana, no sábado, 11, será realizado o debate Direitos das pessoas com deficiência: reflexões para o pós pandemia à luz do conceito de capacitismo. Estarão em xeque discussões sobre os direitos das pessoas com deficiência e uma reflexão sobre o capacitismo – fenômeno social ainda presente de forma velada ou explícita no cotidiano e que afeta a participação social deste segmento. Também será abordado como a adoção da acessibilidade atitudinal, entre outras medidas, pode contribuir para ampliar a qualidade de vida e os horizontes das pessoas com deficiência no cenário pós-pandemia em sociedade. Participam a coordenadora executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas, Marta Gil, e a professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Izabel Madeira Maior. O debate será mediado por Jairo Marques, jornalista da Folha de S. Paulo, e apresentado por Giovanna Togashi, doutora em Ciências pela USP e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

 

PROGRAMAÇÃO IDEIAS #EMCASACOMSESC

 

Dia 7/7, terça-feira

Memórias, cicatrizes e fraturas

Baseadas nas pesquisas feitas para o desenvolvimento de seus projetos artísticos e nas dificuldades encontradas para acesso aos acervos, Rosângela Rennó e Giselle Beiguelman abordam as fragilidades expostas do patrimônio e as relações entre memória e esquecimento no Brasil.

Participantes:

Giselle Beiguelman – Artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Rosângela Rennó – Artista formada em artes plástica e em arquitetura e urbanismo, doutora em Artes pela Escola de Comunicação e Artes da USP.

Mediação:

Barbara Rodrigues – Graduada em Artes Plásticas pela UFPE, e pós-graduanda em Crítica e Curadoria da Arte pela PUC. Técnica de programação em Artes Visuais no Sesc Pompeia.

Apresentação:

Sabrina da Paixão – Historiadora e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

 

Dia 8/7, quarta-feira

A força ancestral na celebração da vida

Bate-papo sobre os modos de (re)existir de manifestações culturais e comunidades tradicionais afro-brasileiras do Sudeste, como a Caiumba (conhecida como Batuque de Umbigada) e Moçambiques (presente nos festejos do congado).

Participantes:

Iara Aparecida Ferreira – Fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG), membro estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e Delegada Nacional dos Pontos de Cultura (representando a Cultura Popular).

Mestre Malaquias (conhecido como Preto) – Fundador e capitão do Moçambique Estrela Guia, casado há 33 anos com Iara, com quem faz parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Uberlândia.

Antônio Filogênio de Paula Júnior – Membro do projeto Casa de Batuqueiro, ligado ao grupo Batuque de Umbigada de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro-SP. Graduado em filosofia, é mestre e doutor em Educação.

Mediação e apresentação:

Renata Celano – Jornalista e animadora cultural do Sesc Consolação.

 

Dia 9/7, quinta-feira

Os efeitos da pandemia na alimentação dos brasileiros

A preocupação em relação à disponibilidade e ao acesso a alimentos no presente e no futuro são os principais temas desta atividade. A insegurança alimentar já ameaçava milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade. A tendência é que esse cenário crítico se agrave com os fortes impactos sociais e econômicos causados pela pandemia. Nesse novo contexto, quais os caminhos para enfrentar a subnutrição e a fome, promovendo a alimentação adequada e saudável para todos? Como garantir este direito, considerando formas de produção, processamento e distribuição dos alimentos socialmente equitativas, ambientalmente sustentáveis e promotoras de diversidade cultural e ecológica?

Participantes:

José Graziano da Silva – Professor titular aposentado do Instituto de Economia da UNICAMP. Foi Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva. Nessa função, coordenou a implementação do Projeto Fome Zero. Foi Diretor Regional para América Latina e Caribe e depois Diretor Geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Renato Maluf – Professor titular do CPDA/UFRRJ, onde coordena o Centro de Referência em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Membro do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Ex-Presidente do CONSEA-Nacional (2007/2011).

Mediação:

Elisabetta Recine – Integrante do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional, professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília.

Apresentação:

Mariana Ruocco – Assistente Técnica da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar.

 

Dia 11/7, sábado

Direitos das pessoas com deficiência: reflexões para o pós pandemia à luz do conceito de capacitismo

O objetivo do debate é trazer discussões sobre os direitos das pessoas com deficiência e uma reflexão sobre o capacitismo – fenômeno social ainda presente de forma velada ou explícita no cotidiano e que afeta a participação social deste segmento. Também se pretende debater a influência desta modalidade de preconceito no âmbito do acesso ao mercado de trabalho das pessoas com deficiência, por meio de barreiras com relação ao julgamento sobre sua performance e que eventualmente inibem as possibilidades de desenvolvimento em funções laborais diversas. Por fim, também será abordado como a adoção da acessibilidade atitudinal, entre outras medidas, pode contribuir para ampliar a qualidade de vida e os horizontes das pessoas com deficiência no cenário pós-pandemia em sociedade.

Participantes:

Marta Gil – Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas.

Izabel Madeira Maior – Professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mediação:

 Jairo Marques – Jornalista da Folha de S. Paulo.

Apresentação:

Giovanna Togashi – Doutora em Ciências pela USP e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

 

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: sescsp.org.br

youtube.com/sescsp

 

Senac São José do Rio Preto oferece pr…

06-02-2020 Hits:603 Região Fabio

Pelo sexto ano consecutivo serão desenvolvidas atividades em estande montado na praça de eventos do centro de compras