O número de adolescentes grávidas caiu 28%, entre os anos de 2013 e 2018, em Catanduva. É o que revela levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde com base nos acompanhamentos realizados nas unidades de saúde do município a gestantes com idades até 19 anos.

De acordo com os dados, o número de grávidas adolescentes permaneceu estável a contar de 2013 (196), 2014 (194) e 2015 (192). A queda mais significativa ocorreu entre 2016 e 2017, passando de 163 para 127 registros.

A quantidade voltou a subir em 2018, quando 141 adolescentes engravidaram, mesmo assim, em menor proporção que a registrada no início do período.

Atualmente, 30 gestantes adolescentes frequentam as unidades de saúde. No âmbito da atenção primária é ofertada assistência por meio de consultas de pré-natal. O acompanhamento é reforçado no curso Gestante Feliz, que une a Secretaria de Saúde ao Fundo Social de Solidariedade.

O programa é composto por médico, equipe de enfermagem, nutricionista, psicólogo, dentista, educador físico, fisioterapeuta e Agente Comunitário de Saúde. Nos encontros são abordados temas como desenvolvimento gestacional, orientação postural, planejamento familiar para evitar gestações não planejadas, cuidados com a alimentação, saúde bucal, parto normal e cesárea e aleitamento materno. A iniciativa também atua no aspecto social, com a entrega de kit maternidade ao final do curso.

Paralelamente, a temática é alvo de ações em grupos de orientação. Dentre os trabalhos, as equipes fazem busca ativa a gestantes que não seguem corretamente o pré-natal. O assunto é abordado rotineiramente nas abordagens em sala de espera, com apresentação de métodos contraceptivos e orientações sobre gravidez precoce.

O trabalho de conscientização ocorre porque as mudanças inerentes dessa fase causam impactos tanto na vida da adolescente quanto do bebê, que envolvem condições socioeconômica, psicológica, emocional e fisiológica.