Os hospitais da Fundação Padre Albino, Emílio Carlos (HEC) e Padre Albino (HPA), são destaques em captação e doação de órgãos e tecidos no ano de 2019 no Noroeste Paulista, ocupando o 2º lugar no número de doadores de múltiplos órgãos efetivos e 3º lugar no número de captação de córneas.

Em 2019 59 famílias autorizaram a doação de córneas, totalizando 118 córneas captadas e encaminhadas para transplante, e 12 famílias autorizaram a doação de múltiplos órgãos, totalizando 22 rins, 10 fígados, dois corações, quatro pulmões, dois doadores de ossos e um coração para válvulas cardíacas. Com isso, os hospitais superaram os índices preconizados pelo Ministério da Saúde. Na doação de córneas alcançaram 44%, enquanto o índice é de 20%, ultrapassando a meta estabelecida em mais de 100%, e o índice de doação de múltiplos órgãos chegou a 86%, enquanto a meta é de 60%.

“Os resultados positivos devem ser creditados à equipe multiprofissional capacitada e treinada para acolher as famílias de potenciais doadores de órgãos e tecidos e principalmente às pessoas que cada vez mais estão conscientes sobre a importância da doação e de quantas vidas podem ser salvas com esse gesto de generosidade e solidariedade”, destacou a diretora de Saúde e Assistência Social da Fundação Padre Albino e administradora do Hospital Padre Albino, Renata Rocha Bugatti, ressaltando que a equipe da Comissão Intra-hospitalar de Transplantes é composta por médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais e está de plantão 24 horas por dia.

Como doar

Se você deseja ser doador de órgãos é imprescindível que informe sua família. De acordo com a legislação atual, o responsável por essa decisão são os familiares, ou seja, cônjuge, pais, filhos, irmãos, avós e netos. “A doação de órgãos não interfere no velório e sepultamento. Não há custos para a família do doador e nem do receptor”, informou a enfermeira da Comissão Intra-Hospitalar de Transplantes (CIHT) da FPA, Camila Chierato.

“Doar órgãos é um gesto solidário que salva vidas. Somos gratos a todas as famílias que entenderam a importância desse ato e ajudaram várias pessoas a ter nova chance. Sabemos como a decisão é difícil; por isso temos equipe preparada para esclarecer todas as dúvidas e acolher os familiares da melhor forma”, finalizou o coordenador da Comissão, Prof. Dr. Jorge Luís Valiatti.