A Câmara Municipal de Catanduva promoveu, nesta segunda-feira, 3 de fevereiro, às 18 horas, no plenário, a Audiência Pública que discutiu as ações de prevenção à dengue e combate ao mosquito Aedes Aegypti.

Parlamentares e munícipes apresentaram sugestões com o intuito de agregar ao planejamento da administração pública – medida necessária frente o surto da doença na cidade, onde já foram notificados 2.600 casos, somente em janeiro.

O evento ainda reuniu membros de conselhos, médicos, entidades assistenciais, movimentos religiosos, políticos, representantes de hospitais e a imprensa.

O Presidente da Câmara, Dr. Luis Pereira, conduziu os trabalhos e abriu a audiência pública ouvindo sugestões e críticas dos moradores.

O primeiro a se manifestar foi o Padre Ivanildo dos Santos Costa, da Paróquia São Paulo Apóstolo, que abordou sobre a importância de parceria entre o Poder Público e as Entidades Religiosas.

“Como havia salientado com os vereadores, algumas autoridades, é importante que haja uma parceria entre o Poder Público e as comunidades religiosas, sejam católica, evangélica, ou de outra denominação, para que a gente possa enfrentar essas situações que são graves e que causa risco para vida do nosso povo, ou seja, uma parceria não só para orientar, conscientizar o povo, por meio de panfletagem como divulgação em nossas redes, por que nós temos um alcance muito grande, na condição de religiosos, uma vez que nossa comunidade está espalhada por toda cidade, e  seria mais eficaz esse processo de combate a dengue e outros problemas de saúde”.

Os demais munícipes que usaram o microfone falaram sobre o aumento dos casos de dengue, a possibilidade de uso da tecnologia para o combate aos focos do mosquito e também sobre a abertura do “Hospital” da Dengue.

Logo após, a pedido do Chefe do Legislativo, Dr. Luis Pereira, a Prefeita de Nova Granada, Tania Yugar, participou da audiência e exemplificou a forma que agiu para combater a dengue em sua cidade.

“As campanhas de limpeza, educação são preventivas e depois que a dengue chegou, investi muito no pronto socorro. Fiz unidades de hidratação oral e venosa, colocamos poltronas reclináveis para as pessoas ficarem confortáveis e investi em laboratório. Coloquei exames de sangue dentro da unidade, fazia um exame no dia, no seguinte voltava para monitorar, se estava baixando ou se voltava a subir o número de plaquetas. Fizemos mais do que poderíamos porque Nova Granada é uma cidade bem pobre, mas foi necessário, porque perder paciente é muito ruim, a vida não tem preço, então investimos muito. Era uma loucura porque as pessoas iam de manhã para fazer exames, voltavam à tarde para pegá-los, então isso fez um aporte geral de muitas pessoas, mas isso evitou tragédias também. Porque fazia três dias exames, internava se fosse preciso, ou se melhorou, já dispensava”.

O médico e infectologista Ricardo Santaella também esteve presente no debate e explanou sobre a evolução da procriação do mosquito Aedes Aegypti.

Ronaldo Carlos Gonçalves Júnior, secretário municipal de saúde, apresentou as ações da pasta – as estratégias, que já vinham sendo executadas, e as que foram incluídas, explicou também sobre a forma que os testes são elaborados, sobre a investigação para os óbitos de possíveis casos de dengue e esclareceu sobre os atendimentos realizados nas unidades de saúde, bem como na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Ao final, todas as sugestões e críticas, foram anotadas pelos parlamentares, que elaborarão um projeto relacionado ao combate da dengue para encaminhar ao Prefeito Municipal.

“A audiência foi muito proveitosa, recebemos sugestões e críticas do que a população pensa a respeito da dengue em nosso município. Sem dúvidas o que mais os munícipes pediram, foi a abertura de um hospital da dengue. Cada parlamentar fez suas anotações e baseado no que a população pediu estaremos elaborando um projeto para encaminhar ao Prefeito Municipal.  Esperamos que o nosso projeto seja atendido, pois é a vontade da população. Não podemos mais permitir que os catanduvenses sofram as consequências devastadoras da dengue, todos merecem atendimento de qualidade e com agilidade”, finalizou Dr. Luis Pereira.


Beatriz Albuquerque
Assessora de Comunicação Social / Câmara Municipal de Catanduva