Com objeto de socorrer os estabelecimentos considerados não essenciais (academias de ginásticas, bares, lanchonetes, restaurantes, salão de beleza, dentre outros), que são os que mais estão sofrendo com as medidas de combate ao novo coronavírus (COVID-19), o Presidente da Câmara Municipal de Catanduva, Dr. Luis Pereira, juntamente com o vereador Mauricio Gouvea, elaborou um Ofício Especial, endereçado à Diretora da ANEEL, Elisa Bastos Silva,  solicitando a inclusão dos referidos estabelecimentos na Resolução Normativa nº 878/20, para que assim, possuam os mesmos benefícios dos estabelecimentos considerados essências e não sofram mais com o corte de energia, durante a pandemia.

A iniciativa surgiu após, Dr. Luis Pereira e Maurício Gouvea se reunirem com os integrantes do grupo de bares, restaurantes e segmentos congêneres, na Câmara Municipal. Após a reunião e com ambos no mesmo propósito de socorrer este importante segmento, o Chefe do Legislativo, preparou um ofício especial.

“Sabedores da real situação pela qual passamos, em especial a situação econômica e financeira que estes estabelecimentos se encontram, não podemos deixar de reivindicar perante Vossa Excelência que seja revisto e inserido estas categorias na referida Resolução, para que não sofram, neste lapso de tempo, o corte de fornecimento de energia elétrica por inadimplência, bem como o não registro ao protesto dos débitos. Por isso faz-se necessário que esta categoria seja também inclusa nesta Resolução, como forma de inteira e verdadeira justiça, pois estão sendo os mais afetados pelas medidas decretadas, inclusive não obtendo receita alguma, daí o pedido de Justiça”, disse Dr. Luis Pereira.

O documento foi encaminhado à Diretora da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL),  Elisa Bastos Silva, na tarde desta sexta-feira, 19 de junho.

Fonte: Beatriz Albuquerque - Assessora de Comunicação Social/Câmara Municipal de Catanduva

Crianças deprimidas por causa da pandem…

27-06-2020 Hits:95 Artigo / Coluna Fabio

A pandemia continua, os trabalhos se adaptaram, as crianças estão em casa. Tempo é uma coisa que se pensava que iria sobrar e agora está faltando para cada um conseguir...