O resultado desportivo nem sempre é o principal objetivo no futebol. Depois de quase três semanas em solo europeu, o Sub-21 do Novorizontino desembarcou no Brasil, na tarde desta quinta-feira (13), e trouxe na bagagem, além de vitórias, um valioso aprendizado cultural. Durante a passagem pela cidade de Antália, na Turquia, o grupo, que realizou 7 amistosos contra equipes europeias, também teve a oportunidade de conhecer uma nova língua e a escola europeia de futebol, contou o presidente do Grêmio Novorizontino, Genílson da Rocha Santos, que fez parte da delegação que acompanhou os jovens.

"Todas as experiências que vivemos nesse tempo serviram como parâmetro, para que nós possamos direcionar, daqui para frente, o nosso trabalho nas categorias de base do clube. Entendemos como o nosso processo de formação está sendo construído, comparado aos modelos que são jogados fora do Brasil. Conseguimos ver o comportamento dos atletas quando colocados em situações adversas do cotidiano. Além disso, pudemos medir o modelo de jogo que o Grêmio Novorizontino vem pregando nas categorias de base. E concluímos que temos mais coisas positivas do que negativas".

Na Turquia, o grupo formado por 25 atletas das categorias Sub-17, Sub-20 e Sub-21, conquistou 4 vitórias e 3 derrotas. Além disso, mais de 30 gols foram marcados pelo Tigre, que sofreu apenas 8, de tradicionais equipes como Zenit (RUS), Dinamo de Moscou (RUS) e Dinamo de Kiev (UCR).

 "Lá, os atletas possuem bons aspectos físico e tático, conseguem suportar o jogo o tempo todo. E de modo geral, o Novorizontino se mostrou a frente, pois além de ter as qualidades físicas e táticas, nosso time consegue ser agressivo de uma maneira conjunta, mas não deixa de se defender", disse o presidente Genílson da Rocha Santos.

"Lá eles sabem se defender muito bem, mas não tem a organização para atacar com a mesma intensidade, ou de maneira tão conjunta como nós fizemos. E esse foi um dos pontos em que os nossos treinadores foram mais questionados. Eles ficaram surpresos com a eficiência do Grêmio Novorizontino", finalizou Genílson.

Além do aproveitamento positivo e do aprendizado, o presidente do Novorizontino destacou a visibilidade dos atletas diante do mercado europeu, já que os amistosos foram acompanhados de perto por empresários e dirigentes de outros clubes. Dois atletas do clube não retornaram para o Brasil, pois foram negociados por empréstimo, com a opção de compra em definitivo, para o FC Nitra, time da Eslováquia. São eles: o volante Daniel, e o zagueiro João.

"As trocas foram muito boas, conseguimos criar negócios, e acredito que possam surgir outros, referentes a situações criadas nessa viagem. O perfil dos dois atletas ajudou muito, pois eles têm uma boa estrutura e força física, mas também são atletas técnicos, que conseguem fazer um bom jogo. Com essa troca de experiências, conhecendo outros clubes, aumentamos o nosso networking e vemos novas possibilidades para outros atletas que são formados pelo Novorizontino", disse o presidente.

Confira os resultados conquistados pelo clube nos amistosos:

Grêmio Novorizontino 0x1 FC Aktobe-CAZ

Grêmio Novorizontino 1x4 Zenit-RUS

Grêmio Novorizontino 1x2 FC Sochi-RUS

Grêmio Novorizontino 17x1 Sport Club Veltheim-SUI

Grêmio Novorizontino 3x0 Dinamo de Kiev-UCR

Grêmio Novorizontino 2x1 FC Alania Vladikavkaz-RUS

Grêmio Novorizontino 3x2 Dinamo Moscow