A Cerradinho Bioenergia, empresa do setor sucroenergético que produz etanol e seus coprodutos a partir de matéria-prima renovável, como a cana e o milho, anuncia os resultados consolidados da safra 2023/24, com destaque para o avanço no plano de expansão e diversificação, e encerrando a safra com níveis controlados de alavancagem e liquidez.

A nova planta industrial da Neomille, instalada em Maracaju (MS), que entrou em operação em janeiro de 2024, trará relevante participação no resultado da Companhia, aumentando a capacidade de processamento de milho para 1,5 milhão de toneladas por ano, equivalente a 7,6 milhões de toneladas de cana equivalente.

A moagem total, na safra 2023/24, cresceu 22%, resultando em 9,8 milhões de toneladas de cana equivalente frente a 8 milhões de tons na safra anterior. O resultado foi impulsionado pelo aumento da moagem de milho que foi 60% maior. Nesse contexto, a produção de etanol hidratado equivalente cresceu 23%, registrando 834 milhões de litros, contra 678 milhões no mesmo período anterior.

No final do período, também foi concluída a troca de comando da Companhia. Planejado há dois anos, o plano de sucessão da CerradinhoBio, definiu Renato Pretti para o cargo em substituição a Paulo Motta, que passa a integrar o Comitê de Investimento e Estratégia.

Outro destaque importante no planejamento de expansão do negócio, é a conclusão da primeira fase da fábrica de açúcar, prevista para finalizar ainda este mês. Além, do anúncio do investimento adicional de R$ 189 milhões para a implantação da segunda fase.

Desempenho financeiro

O EBITDA Ajustado do exercício foi de R$ 604 milhões, redução de 24,2% em comparação ao exercício anterior, impactado pela queda relevante no preço do etanol e os investimentos planejados em expansão, que impactaram o resultado da companhia. Contudo, o cenário de futuro é bastante promissor.

A Cerradinho Bioenergia encerrou a safra com liquidez robusta e seu endividamento equalizado, com a alavancagem no patamar de 2,76x, o que fez com que a Companhia não necessitasse do waiver “preventivo” autorizado em assembleia, por detentores de CRAs.

A dívida bancária registrou um crescimento de 7%, passando de R$ 1.559 milhões em março/23 para R$ 1.670 milhões em março/24, resultando num aumento de R$ 111 milhões. O montante está 100% em moeda nacional e com 76% dos vencimentos no longo prazo. O que deixa a companhia num cenário confortável diante do aumento da capacidade de produção, e a flexibilidade com a entrada da produção de açúcar e a diminuição no custo do milho, que resultarão em bons resultados no curto prazo.

Segundo Renato Pretti, CEO da Cerradinho Bioenergia, apesar do ambiente mais desafiador da safra 2023/24, a CerradinhoBio se posiciona bem para o exercício corrente. "Na safra 2023/24 mudamos o patamar da empresa, com a construção de projetos importantes, como a nova unidade industrial de Maracaju e, o projeto do açúcar, que trará flexibilidade à nossa operação de cana. A pressão dos preços de etanol prejudicou nosso resultado, mas, ainda assim, estamos com alavancagem controlada e prontos para materializar no curto prazo os resultados da nossa estratégia de expansão e diversificação.”

Sobre o Grupo Cerradinho 

O Grupo Cerradinho é composto por empresas nos seguimentos sucroenergético, propriedades agrícolas, logística, postos de combustíveis e empreendimentos imobiliários. A CerradinhoBio, Neomille, CerradinhoTerra, CerradinhoLog e a W7 Energia atuam na produção e distribuição de biocombustíveis e energia. O Grupo inclui ainda, a Viiv e a Geração Futura, de empreendimentos imobiliários, além de postos de combustíveis. O controle acionário é da Cerradinho Participações S.A., holding de investimentos da família Sanches Fernandes, uma empresa de capital fechado que adota um sistema de governança corporativa moderno para gerir os negócios, em consonância com as melhores práticas existentes no mercado. 

Sobre a CerradinhoBio 

Empresa do Grupo Cerradinho, de capital aberto, cem por cento nacional, atua no setor de biocombustíveis e bioeletricidade. Possui um complexo industrial, em Chapadão do Céu (GO), com a capacidade de moagem de 6,1 milhões de toneladas de cana, por ano. Recentemente, anunciou um investimento da ordem de R$ 280 milhões para a construção de sua primeira fábrica de açúcar, na mesma planta industrial.

Gera 3.800 empregos, entre diretos e indiretos. A Companhia detém uma logística eficiente, o que possibilita custos compatíveis para o escoamento de sua produção de etanol para a região de Paulínia, interior de São Paulo. A Cerradinho conta com experiência de mais de quatro décadas no setor sucroenergético. 

Sobre a Neomille 

Subsidiária da CerradinhoBio, a Neomille produz bioenergia e coprodutos a partir do milho. Sua primeira planta industrial foi inaugurada em novembro de 2019, junto ao complexo industrial de Chapadão do Céu (GO), com capacidade de moagem de 860 mil toneladas de milho, por ano. Uma nova unidade está sendo construída em Maracaju, Mato Grosso do Sul, com expectativa de startup até o fim de 2023. Com a conclusão da primeira fase, deve adicionar mais 3,1 milhões de cana equivalente a capacidade total de produção da CerradinhoBio.

Fonte: Link Comunicação Empresarial

Em Sessão vereadores aprovam projetos d…

06-10-2021 Hits:1028 Política Fabio

A Câmara de Vereadores de Catanduva realizou a 32ª sessão ordinária do ano. Na pauta constavam seis projetos de lei e um veto a serem analisados. Dos projetos que estavam...