Com o objetivo de incentivar a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), traz a transmissão ao vivo de debates sobre as principais questões que tensionam a agenda sociocultural e educativa atual. Sempre às 16h, as conferências acontecem pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, com participação do público e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na terça-feira (1/9), acontece o debate “Repensando acessos: Acervos públicos de arte e mediações possíveis”, com a presença de Solange Ferraz de Lima, historiadora e docente da USP no Museu do Ipiranga, e Tadeu Chiarelli, professor titular do Programa de Pós-Graduação da ECA/USP, curador-chefe do MAM e ex-diretor do MAC - USP (2015-2017). O encontro terá a mediação de Juliana Braga, da Gerência de Artes Visuais e Tecnologia do Sesc São Paulo e apresentação de Sabrina da Paixão, historiadora e mestra em Educação pela USP. Serão discutidas as ações propositivas dos espaços culturais para viabilizar o acesso qualificado de acervos públicos e locais de exposição, bem como as formas de se repensar esta oferta e mediação, o que ressignifica os processos curatoriais e impacta os meios de fruir a experiência estética.

A quinta-feira (3/9) traz o bate-papo “Cabra da peste: os sertões e as epidemias na medicina e na literatura”, no qual os convidados buscam a representação da atual "peste" e uma reflexão sobre as complexidades do momento pandêmico, que não é apenas sanitário. Esta mesa compõe o projeto "Pandemia: passado, presente, futuro" e propõe um diálogo entre áreas do conhecimento que parecem distantes nas discussões sobre a pandemia de Covid-19 – as ciências da saúde, as humanidades, as artes e os saberes tradicionais. A mesa será composta por Willi Bolle, doutor em letras pela Universidade de Bochum, na Alemanha, e professor do Departamento de Letras Modernas da USP, e Wilson Freire, médico pós-graduado pela Universidade de Münster, também na Alemanha, e médico do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, em Recife. A mediação é de Joaci Furtado, professor do Departamento de Ciência da Informação da UFF, com apresentação de Jair de Souza Moreira Júnior, pesquisador do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

As temáticas do "Cena Inquieta", série de 26 episódios que está no ar pelo SescTV desde julho, serão abordadas no encontro de mesmo nome, realizado na sexta-feira (4/9). A mesa virtual contará com a presença de Toni Venturi, diretor da série "Cena Inquieta", Naruna Costa, atriz e diretora do Grupo Clariô, Ronaldo Serruya, ator e dramaturgo, e contará com a mediação de Silvana Garcia, professora da EAD/ECA/USP, diretora de teatro e curadora da série de TV, com apresentação de Silvia Garcia, técnica do SescTV, crítica literária e mestre em Dramaturgia. O bate-papo abordará o atual contexto do teatro autoral, político, negro, LGBTQI+ e grupos periféricos.

Fechando a programação da semana da série Ideias #EmCasaComSesc, no sábado (5/9), acontece o debate “Revista Mais 60 em pauta – Familismo e idosos que moram sozinhos em tempos de pandemia”, que discute o familismo e suas repercussões nas relações conjugais e familiares de idosos, abordando os conceitos de rede de suporte social, sua interface com a idade e de que forma ela pode afetar a vida das pessoas para acolher as demandas dos idosos. Com Deusivania Vieira da Silva Falcão, professora associada da USP, com pós-doutorado na University of Central Florida (UCF/EUA), Marisa Accioly, doutora em saúde pública pela USP e especialista em gerontologia e Yeda Aparecida de Oliveira Duarte, doutora em enfermagem pela USP, especialista em gerontologia pela SBGG, com apresentação e mediação de Juliana Viana, animadora cultural do Sesc Vila Mariana.

 

PROGRAMAÇÃO IDEIAS #EMCASACOMSESC

 

1/9, terça-feira

Repensando acessos: Acervos públicos de arte e mediações possíveis

Os acervos públicos são, para além de repositórios da produção humana nas mais diversas expressões artísticas, espaços pensados para a exposição, mediação e democratização do acesso a públicos diversos. Desde amplas instituições que congregam acervos múltiplos, até casas, museus, pinacotecas e arquivos que conservam obras de arte regionais ou com recortes específicos, os acervos pautam-se não apenas pela preservação e manutenção, mas também e essencialmente pela difusão destes saberes. No atual momento, os acervos e espaços públicos precisam se reinventar para atuar em uma realidade que impõe o distanciamento físico e a restrição de circulação, bem como em ocupar o vasto ambiente virtual.

Este encontro trata sobre as ações propositivas dos espaços culturais para viabilizar este acesso qualificado para seus públicos, bem como as formas de se repensar esta oferta e acesso e como elas ressignificam os processos curatoriais e impactam os meios de fruir a experiência estética.

 

Participantes:

Solange Ferraz de Lima - historiadora, docente da Universidade de São Paulo, no Museu Paulista (Museu do Ipiranga). Sua produção acadêmica resulta da pesquisa e curadoria de acervos visuais. Foi diretora do Museu do Ipiranga entre 2016 e 2020.

Tadeu Chiarelli - Prof. Titular USP. Prof. Sênior junto ao Programa de Pós-Graduação da ECA/USP. Coordenador do Grupo de Estudos Arte&Fotografia ECA/USP. Curador-chefe do Museu de Arte Moderna de São Paulo (1996-2000). Diretor do Museu de Arte Contemporânea da USP (215-2017). Publicou livros sobre história da crítica de arte no Brasil e sobre artistas brasileiros. Responsável pela coluna Conversa de Bar(r) no site da revista Arte!Brasileiros.

 

Mediação:

Juliana Braga - Gerente da Gerência de Artes Visuais e Tecnologia do Sesc São Paulo. Possui graduação em História e especialização em Museologia, ambas pela USP, e mestrado em Políticas Públicas pela FGV/SP.

 

Apresentação:

Sabrina da Paixão - historiadora e mestra em Educação (FEUSP). Pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo.

 

3/9, quinta-feira

Cabra da peste: os sertões e as epidemias na medicina e na literatura

Um alemão estudioso da literatura brasileira busca nesse universo a representação da doença (ou da "peste"), enquanto um médico pernambucano, preceptor em arteterapia e saúde coletiva, reflete sobre as complexidades e perplexidades de um evento que não é "apenas" sanitário.

Esta mesa compõe o projeto: "PANDEMIA: PASSADO, PRESENTE, FUTURO", propondo diálogos entre áreas do conhecimento que parecem distantes nas discussões sobre a pandemia de covid-19 - as ciências da saúde, as humanidades, as artes e os saberes tradicionais.

Estas ações serão compostas por especialistas, possibilitando uma conversa entre profissionais da saúde e escritores(as), estudiosos(as) da língua ou da literatura, religiosos(as) e artistas plásticos(as), sobre os cenários passados e presentes e as perspectivas quanto às mudanças impostas por surtos epidemiológicos como esse que está em curso, com características particularmente agudas no Brasil. Mais que simples diagnóstico da situação, trata-se de refletir, sob pontos de vista diferentes, e sem perder a referência do passado, sobre um futuro próximo cada vez mais incerto, partindo do multifacetado acervo cultural e científico brasileiro.

Participantes:

Willi Bolle - doutor em letras pela Universidade de Bochum (Alemanha), é professor do Departamento de Letras Modernas da USP e autor de Boca do Amazonas: sociedade e cultura em Dalcídio Jurandir.

Wilson Freire - graduado em medicina pela UFPE e pós-graduado pela Universidade de Münster (Alemanha), é médico do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, em Recife.

 

Mediação:

Joaci Furtado - professor do Departamento de Ciência da Informação da UFF.

 

Apresentação:

Jair de Souza Moreira Júnior - pesquisador do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

 

4/9, sexta-feira

Cena Inquieta

Bate-papo sobre o atual contexto do teatro autoral, teatro político, teatro negro e LGBT, grupos periféricos e demais temáticas abordadas em "Cena Inquieta", série de 26 episódios, com produção do SescTV, que estreou em julho em 2020.

 

Participantes:

Toni Venturi - diretor da série "Cena Inquieta".

Naruna Costa - atriz e diretora do Grupo Clariô.

Ronaldo Serruya - ator e dramaturgo.

 

Mediação:

Silvana Garcia - professora da EAD/ECA/USP, diretora de teatro e curadora da série "Cena Inquieta".

 

Apresentação:

Silvia Garcia - técnica do SescTV, crítica literária e mestre em Dramaturgia.

 

5/9, sábado

Revista Mais 60 em pauta - Familismo e idosos que moram sozinhos em tempos de pandemia


Encontro que discute o familismo e suas repercussões nas relações conjugais e familiares de idosos. Faz referência aos dois artigos principais da edição 77 da Revista Mais 60 do Sesc São Paulo, que trouxe como destaque da edição, o artigo apresentado pela professora Deusivania Falcão que trata desse assunto.


O segundo artigo, elaborado pelas professoras Marisa Accioly e Yeda Duarte, abordou os conceitos de rede de suporte social, sua interface com a idade e de que forma ela pode afetar a vida das pessoas para acolher as demandas dos idosos que vivem sós.


Participantes:


Deusivania Vieira da Silva Falcão - professora associada da Universidade de São Paulo (USP) na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Fez pós-doutorado na University of Central Florida (UCF/EUA), doutora em psicologia pela Universidade de Brasília (UnB) e mestra pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).


Marisa Accioly - graduada em Serviço Social, doutora em saúde pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), especialista em gerontologia pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) e professora-doutora do curso gerontologia no bacharelado e na pós-graduação da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP.

Yeda Aparecida de Oliveira Duarte - graduada em enfermagem, doutora em enfermagem pela Escola de Enfermagem da USP, especialista em gerontologia pela SBGG, professora associada da USP, docente da Escola de Enfermagem e da Faculdade de Saúde Pública da USP, coordenadora do estudo Sabe (Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento) e coordenadora do Núcleo de Apoio à Pesquisa Sabe.


Apresentação e mediação:

Juliana Viana - animadora cultural do Sesc Vila Mariana.


+ SESC NA QUARENTENA

Durante o período de distanciamento social, em que as unidades do Sesc no estado de São Paulo permanecem fechadas para evitar a propagação do novo coronavírus, um conjunto de iniciativas garantem a continuidade de sua ação sociocultural nas diversas áreas em que atua. Pelos canais digitais e redes sociais, o público pode acompanhar o andamento dessas ações e ter acesso a conteúdos exclusivos de forma gratuita e irrestrita. Confira a programação e fique #EmCasaComSesc.

Mesa Brasil | Tecido Solidário | Fabricação Digital de Protetores Faciais | Teatro | Música | Dança | Cinema | Esporte | Crianças | Ideias | SescTV | Selo Sesc | Edições Sesc São Paulo | Youtube Sesc São Paulo | Instagram Sesc Ao Vivo | Portal Sesc SP

+ SESC DIGITAL

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado.

Saiba +: Sesc Digital

 

Carnê da Taxa de Coleta do Lixo 2020 es…

08-07-2020 Hits:184 Cidade Fabio

A SAEC  comunica os munícipes que as informações e os valores referentes à taxa de lixo 2020 estão disponíveis no site da Superintendência apenas para CONSULTA.